Home > Família em férias > Salvador com as crianças – vamos ver no que é que dá!
19 de janeiro de 2017

Salvador com as crianças – vamos ver no que é que dá!

O que fazer em Salvador com as crianças? Praia, Pelourinho e uma seleção de passeios gostosos na capital da Bahia.

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
iStock/grafissimo

Não deixe Salvador virar passeio de um dia em viagens para Praia do Forte, Costa do Sauípe, Itaparica ou Morro de São Paulo. A mais antiga capital do Brasil merece uma estada de pelo menos quatro dias. Eu sei, você vai dizer que cidade grande não combina com criança pequena. Mas, oxente, Salvador, apesar dos quase 3 milhões de habitantes, é uma vila. Acredite. Seja na Cidade Alta, seja à beira do mar, Salvador é puro acolhimento. Tem uma gente calorosa e sempre pronta a compartilhar uma dica ou a levar um dedo de prosa.

Tive uma sorte grande de ser guiada pelas ladeiras por um baiano afiado: Iuri Barreto, autor do blog Soteropobretano, que traz sugestões para quem quer aproveitar a cidade sem gastar muito. Em tempos de vacas magras, ter as dicas dele foi providencial. Compartilho, assim, com vocês, algumas coisas maravilhosas para fazer com as crianças e toda a família em Salvador.

1. Ver o sol nascer e o se por no mar
Salvador é limitada à leste pelo Oceano Atlântico e a oeste pela Baía de Todos os Santos. Essa localização abençoada permite que se aprecie tanto o nascer do sol quanto o por do sol no mar. Mas, atenção, se quiser mesmo ver o sol nascendo no Atlântico terá de acordar bem cedinho. Cedinho mesmo. Salvador não aderiu ao horário de verão, então aqui o Sol nasce por volta das 5h. Minha sugestão é que você se mantenha no fuso de São Paulo (onde já seria 6h), e toque o dia a partir daí pois o sol vai arder muuuito, em breve, e vai cair no mar igualmente cedo: lá pelas 18 horas. Salvador curte um por do sol e mesmo que você não consiga um convite de Ivete para assisti-lo de seu pier, há outros lugares consagrados para ver o espetáculo: do cais do Museu de Arte Moderna, no Porto dos Tainheiros, no Santo Antonio Além do Carmo ou no Forte São Diogo, no Porto da Barra.

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
Imagem: Creative Commons/wikimedia

2. Curtir praias que mais parecem piscinas
Salvador reformulou toda a sua orla. Aquelas barracas que invadiam a areia foram retiradas do cenário. A coisa ficou tão organizada que mais parece a Riviera de São Lourenço. Ou ainda melhor. Na Riviera não tem um baiano simpático regando seu pé com água do mar gelada a cada 10 minutos de sol.

Você precisa saber que é melhor ir à praia de segunda à sexta-feira. Aos finais de semana, as praias de Salvador ficam cheias. Muito cheias. Uma alternativa para os finais de semana é chegar cedinho, aproveitar o melhor sol da manhã e alugar aquele guarda-sol de frente para o balanço do mar. Cedinho tipo sete da manhã. Você vai me agradecer pela dica. O Sol arde demais por aqui. De-mais. Saia da praia por volta das 11 horas, tome um banho, almoce e faça os passeios no período da tarde.

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
iStock/golero

Algumas praias centrais têm poucas ondas. Outras têm piscinas naturais que se formam na maré está baixa (veja a tábua de marés ). As mais queridas pelas crianças são a do Porto da Barra e do Farol da Barra, Buracão ou Itapoã. Ali dá para boiar à vontade e ainda praticar o stand up paddle ou brincar de caiaque. Se tiver surfistas em casa, prefira Stella Maris e Flamengo.

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
Imagem: Creative Commons/wikimedia

3. Conhecer o Pelourinho e todo o Centro Histórico 
Se a orla está toda reformadinha, o Centro de Salvador poderia receber uns chamegos. Mas ainda que não esteja tão lindo como merece, vamos combinar: Salvador tem um dos centros históricos coloniais mais bem conservados do Brasil. Do casario ao lindo chão de pedras.

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
Imagem: Creative Commons/wikimedia

Comece com um pulo na Cidade Baixa, dê uma passeada no Mercado Modelo, compre umas lembrancinhas para levar aos amigos, faça um tererê nas crianças, e depois suba pelo Elevador Lacerda para o Centro Histórico em si.

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
iStock/filipefrazao

Estar acompanhado de um guia é mais bacana, pois você saberá um pouco da história de cada prédio. Com sorte as crianças vão poder ver uma roda de capoeira no Terreiro de Jesus. O passeio pelo Pelô com crianças é um pouco tenso, pois há muita gente. E muita gente oferecendo fitinhas ou outras lembrancinhas.

Não deixe de entrar nas igrejas e nos museus e, se der, assista a uma missa, ou parte dela, na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, máxima expressão do sincretismo entre o cristianismo e o candomblé – a missa é cantada e acompanhada pelo som de atabaques, agagogôs e pandeiros. Toda terça-feira, às seis da tarde. Torcendo aqui para que as crianças aguentem esperar até o Pai Nosso ao som de Asa Branca. De arrepiar. 🙂

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
iStock/Fred_Pinheiro

4. Escolher a igreja mais bonita de Salvador
Você não vai entrar com as crianças em cada igreja de Salvador… Mesmo por que Salvador tem uma igreja para cada dia do ano e não daria tempo. Mas pelo menos visite algumas e mostre a riqueza dos detalhes da arquitetura, das esculturas, dos afrescos e até das salas de ex-votos. Que tal deixá-las pregarem ali alguma graça alcançada (os tempos não são de hashtag gratidão?). Bom, na lista das igrejas mais bonitas de Salvador estão:

– A Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, tão velha quanto o Brasil, foi erguida nos idos tempos de Tomé de Souza (1549). Fica a dois passos do Mercado Modelo.

Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, com a fachada mais barroca do Brasil e um interior cheínho de ouro. Fica no Pelourinho.

Igreja e Convento de São Francisco, com o interior mais lindo desse mundo de Deus! Fica em frente ao largo do Cruzeiro. Absolutamente todos os entalhes da nave barroca foram cobertos de ouro. Calcula-se que uma tonelada foi usada para “pintar” a igreja.
Depois, ensine a música de Caymmi: “365 igrejas a Bahia tem. Numa eu me batizei, na segunda eu me crismei, na terceira eu vou casar com a mulher que eu quero bem” e dê um pulo na Igreja do Bonfim, que não é tão bonita quanto famosa, mas vale a viagem à Ribeira (lembra que eu disse que Salvador é grande?).

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
iStock_jeilson

5. Descobrir a cozinha mais apimentada do Brasil
Vamos combinar que acarajé e abará são bolinhos? Com um pouco de tato até aquela-criança-que-não-come-nada vai se render – ainda que seja sem os acompanhamentos de praxe (vatapá, “salada”, que é um vinagrete, camarão seco e pimenta). Os dois bolinhos, o primeiro frito e o segundo cozido, são uma porta de entrada perfeita para as delícias da cozinha baiana.

(Parênteses: a briga dos acarajés continua a mesma de 20 anos atrás quando você ia para a Bahia sem as crianças. Mas não tem problema, prove tanto o acarajé da sucessora de Dinha, no Largo de Santana, no Rio Vermelho, quanto o acarajé da Cira, no Rio Vermelho e em Itapuã. E prove todos os outros que acarajé é dos deuses!).

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
Imagem: arquivo pessoal.
to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
iStock/TinaFields

Depois é ir introduzindo, aos poucos, o bobó de camarão – lembra um estrogonofe, filhote, experimenta -, o escondidinho de carne seca e por fim a moqueca de peixe, com farofinha de dendê, a moqueca de peixe com camarão e, suprema maravilha, a moqueca de siri mole ou de siri catado. Só de pensar dá vontade de pegar o avião. Sugiro que você conheça o restaurante Casa de Teresa, no Rio Vermelho. O lugar tem uma decoração rústica bem baiana e serve pratos tamanho família com direito a repetição de acompanhamentos como arroz, mandioca, farofa e vinagrete. Não deixe de pedir para colocar banana da terra na moqueca: é de comer de joelhos! Tem uma lojinha ali, então, não volte sem comprar um dendê ou uma cocadinha.

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
Imagem: Creative Commons/wikimedia

Outras sugestões são o tradicional – e bem turístico – Yemanjá (Av. Octávio Mangabeira, 4661 – Armação), o sempre indicado Sorriso da Dadá, o restaurante do Senac, que tem um bufê com preço razoável, ambos no Pelourinho. Outra sugestão é o Paraíso Tropical, uma ex-pe-ri-ên-cia (não é muito barato, mas é bom demais!). O dono – e chef – faz umas misturas inusitadas colocando, por exemplo, a “carne do coco verde” na moqueca, frutas e por aí vai. O restaurante fica em uma casa com árvores frutíferas e as frutas são servidas como sobremesa. Fica em um bairro mais distante, Cabula, mas é beeeeem legal. E para terminar o Casa Di Vina, que fica dentro de um hotel onde era a casa de Vinicius de Moraes, você junta gastronomia, história e poesia desse “novo baiano”.

6. Tomar o melhor sorvete de frutas de Salvador
Há quem diga que ele é o melhor sorvete de frutas da Bahia. Ou do Brasil! Pois a Sorveteria da Ribeira faz sorvetes à base de frutas – mais de 60 – desde 1931. Pense em uma fruta? Cajá, manga, graviola, mangaba, caju, abacaxi… A sede fica pertinho da Igreja do Bonfim, mas há diversos quiosques espalhados pela cidade.

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
Imagem: divulgação.

Não muito atrás, fica a Sorveteria Cubana que, no quesito antiguidade, ganha da Sorveteria da Ribeira em um ano. Desde 1930, ela vende sorvetes deliciosos no Pelourinho e em mais três endereços – Pituba, Rio Vermelho e Elevador Lacerda.

7. Navegar na Baía de Todos os Santos e descobrir a praia mais linda desse mundo
A sua agência vai oferecer diversos passeios pela Baía de Todos os Santos. De lancha, de escuna particular, de escunas em grupo. Não importa a sua escolha verifique apenas se a-praia-mais-linda-desse-mundo está no roteiro. Se der para ir apenas para ela, tanto melhor. A praia da Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe, fica na Ilha dos Frades, lá no meião da baía, e pertence a Salvador. Ela tem a água mais transparente que você já viu na sua vida. E é uma banheira de tão tranquila. Depois que recebeu o certificado “Bandeira Azul”, dado pela Foundation for Environmental Education (FEE – Fundação para Educação Ambiental), foi cercada por um conjunto de boias que impedem duas coisas: que os barcos fiquem próximos da costa e que as pessoas se distanciem da praia. Ou seja: você pode com a maior tranquilidade do mundo ficar horas a fio boiando em alto-mar sem se preocupar em ser arrastado pela correnteza. Não deixe de levar óculos para um mergulho autônomo. Ali na praia ainda tem aluguel de caiaques e stand up paddle. Há serviço de praia, organizadinho, com cadeiras e mesinhas para petiscos e cerveja. Vontade de passar uma semana por lá não vai faltar.

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
Imagem: arquivo pessoal.
to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
Imagem: Creative Commons/wikimedia

8. Entrar no universo de Jorge Amado
Ninguém retrata melhor Salvador do que Jorge Amado. E, mesmo que seja um pouco cedo para dar Dona Flor e seus Dois Maridos para seus filhos, vale conhecer a Casa do Rio Vermelho, também conhecida por Casa de Jorge Amado (Rua Alagoinhas, 33). Ali, onde o escritor viveu mais de 20 anos, vocês vão encontrar um pouquinho da história dele e de sua mulher, Zelia Gattai. É uma das melhores experiências multimídia do Brasil. Em cada recanto, um pouquinho da história do casal em ambientações, vídeos, filmes, músicas. O que mais gostei? Do armarinho cheio de gavetas, cada uma com uma carta que ele recebeu na vida – vale ler!

No final da visita, dá para comprar qualquer livro de Jorge e de Zelia e, ainda, alguns objetos baseados em coisas que ele gostava.

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
Imagem: Arquivo pessoal

9. Ir para Maracangalha ou para qualquer lugar que você for chamado
Salvador não é apenas o Centro Histórico, a Península Itapagipana e a Baía de Todos os Santos. É uma cidade muderrrna, com muitos bairros interessantes e uma agenda de eventos que faz inveja a qualquer capital do Sudeste. Quer descobrir um pouco deste outro lado?

Quando anoitecer dê um passeio em Itaigara, mas especificamente na Praça Ana Lucia Magalhães. Ali você vai encontrar crianças brincando, gente passeando com o cachorro e uma série de restaurantes de bairro.

O Museu de Arte Moderna localizado no Solar do Unhão é um destino bacana. Aos sábados à tarde rola um show de jazz à beira-mar que é delicioso. E, aos domingos, tem atividades infantis das 14h às 18h para as crianças.

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
O Solar do Unhão. Imagem: Turismo da Bahia

Também fique de olho na programação da OSBA – Orquestra Sinfônica da Bahia – que acontece no Teatro Castro Alves – veja principalmente se haverá noite de Cinema quando você estiver em Salvador. A criançada ama a apresentação que conta os músicos fantasiados de personagens do cinema.

10. Ficar em um hotel com vista para o mar
Ter uma vista para o azul do mar da Bahia da janela do seu quarto é imperativo. Por isso muita atenção na hora de fazer a sua reserva. Salvador tem tantos hotéis quanto igrejas. E apesar da orla ter mais de 50 quilômetros, nem sempre estes hotéis estão nela. E se estão perto dela nem sempre têm vista. Fiquei em três hotéis em Salvador. No Sofitel, que agora virou Deville. Para quem tem crianças que gostam de espaço ele é ainda uma ótima opção. Tem uma estrutura bastante grande. Espaço meeesmo. Outra sugestão na mesma linha é o Catussaba, resortão pé na areia. Mas saiba que ambos ficam em Itapuã, um pouco afastados da Barra e do Centro Histórico.

Nesta viagem, fiquei no Monte Pascoal Praia Hotel, um hotel vertical, na Barra, bem de frente para o mar. Tem uma localização estratégica para quem quer ficar perto de tudo e ainda ver o sol se por no mar da janela do quarto. Tem serviço de praia bem em frente, tem uma piscina de borda infinita e está todo reformadinho. E a dez passos do novo calçadão da Barra – onde você pode passear tranquilamente à noite.

to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
Imagem: Arquivo pessoal
to-go-blogs-familia-em-ferias-salvador
Imagem: Arquivo pessoal

Confira mais dicas sobre Salvador em nossos Guias de Viagem.

dica to go travel

Salvador não é para fracos. As ruas são sinuosas e infindáveis, uma virada errada e você tem de dar uma volta imensa. Por isso, aposte no Uber – tudo é muito longe – ou em passeios estruturados, na companhia de um guia. Meu roteiro foi feito com a ajuda da Grou Receptivo – passeios para o Bonfim e o Pelourinho e Itapuã pedem guia (71) 3503-0707.

Passagens aéreas para Salvador

Hotéis em Salvador

Bettina Monteiro
Bettina Monteiro

Jornalista, começou a carreira descobrindo o Brasil para os Guias Quatro Rodas e participou da criação das revistas Viagem e Turismo e Próxima Viagem, e do portal ViajeAqui, da Abril Mídia. Há 12 anos, desde que nasceu sua filha Lulu, não há cidade, resort, parque ou cruzeiro que escape à sua dedicação em encontrar experiências perfeitas para viagens em família.