Home > Turista Curioso > Lindos castelos fora da Europa
9 de maio de 2017

Lindos castelos fora da Europa

É natural que a gente lembre da Europa quando alguém fala em castelos, afinal o continente é salpicado deles e foi lá que essas construções se desenvolveram, graças a nobres em busca de segurança e imponência. Mas a realidade é que existem castelos maravilhosos e cheios de histórias fantásticas em muitos outros lugares do planeta, às vezes em cantos que a gente nem imagina.

Himeji, Japão
O magnífico castelo Himeji, no Japão: apenas um dos tantos que o país tem. (foto: Sean Pavone/Shutterstock)

Sendo bem sincero, eu mesmo me surpreendi quando comecei a fazer pesquisas para este post. Pensei que encontraria castelos em alguns poucos lugares fora dos domínios europeus, mas acabei dando de cara com exemplos em toda parte. Quer ter uma ideia? Faça o teste: vá no Google e digite Castles + nome do continente para ver no que dá.

Com tantos lugares, tive que fazer uma seleção rigorosa para colocar aqui, escolhendo apenas aqueles que eu achei mais inteiros e tentando colocar representantes em vários lados do planeta.

Terminei o post com vontade de conhecer todos aqueles que eu ainda não conheço. Tomara que você também termine assim.

(E se quiser ver também alguns castelos europeus, leia estes posts sobre castelos mais bonitos do mundo e castelos mais impressionantes.)

Castelo Karim Khan – Shiraz, Irã

Não cheguei a entrar no Karim Khan, vi apenas pelo lado de fora e já achei lindíssimo, com seus ornamentos delicados criados com tijolos, dando a impressão de que suas torres são cobertas por uma renda.

Irã, Shiraz, Karim Khan
O Karim Khan com suas “rendas” e sua torre inclinada (foto: @gabebritto)

Ele foi construído no século 18 pelo governante da Pérsia naquela época, Karim Khan Zand, que mudou a capital do império para a deliciosa cidade de Shiraz. Aliás, o castelo fica no meio dela, parcialmente cercado por uma praça que lota de moradores nos dias mais agradáveis.

Irã, Shiraz, Karim Khan
Os vitrais internos do Karim Khan (foto: JPRichard/Shutterstock)

Curiosidade: uma das quatro torres do Karim Khan está gritantemente inclinada. O motivo foi o afundamento dela em cima das cisternas subterrâneas do castelo.

Castelo Himeji – Himeji, região de Kansai, Japão

É o maior e mais visitado castelo do Japão, além de ser considerado o melhor exemplo completo do estilo japonês de construir estas maravilhas. A primeira parte dele é dos anos 1300, com várias expansões ao longo dos séculos seguintes. Hoje ele é Patrimônio da Humanidade da Unesco.

Himeji, Japão
O Himeji num fim de tarde: imponente e elegante (foto: Sean Pavone/Shuttestock)

Castelo de Ajloun – Jordânia

A Jordânia tem tantos castelos que muitos deles até formam uma atração turística conjunta chamada Castelos do Deserto – porque estão concentrados numa parte da gigantesca área desértica do país.

Ajloun, Jordânia
Lateral do Ajloun (foto: JPRichard/Shutterstock)

O Castelo de Ajloun não está nesta área, mas não perde em atrativos por causa disso. Pelo contrário, ele até ganha, já que a vista do alto da sua colina é linda, cercada pelo raro verde da Jordânia.

Ajloun, Jordânia
Um pouco do verde da vista do Ajloun (foto: Aleksandar Todorovic/Shutterstock)

Ele foi construído no século 12 e fica a aproximadamente uma hora de viagem da capital Amã. Justamente por isso, ele costuma estar sempre cheio de excursões escolares, o que é ótimo para quem gosta de interagir com a população local, já que a molecada ama zoar com os gringos e posar para fotos.

Castelo de Fasilides – Gondar, Etiópia

Sério: você imaginava que haveria castelos na Etiópia? Pois existem, sim, e um deles é o Castelo de Fasilides, construído pelo antigo imperador de mesmo nome, que governou os etíopes entre os anos 1632 e 1667.

Fasilides, Etiópia
Fasilides, do imperador que cansou de caminhar pela Etiópia (foto: Anton_Ivanov/Shutterstock)
Fasilides, Etiópia
Panorama do castelo (foto: milosk50/Shutterstock)

Fasilides construiu o seu castelo depois de quebrar uma tradição dos imperadores etíopes, que costumavam governar viajando pelos seus territórios e morando em acampamentos.

Avesso à vida nômade, ele fundou a cidade de Gondar, deu a ela o título de capital do império e mandou seus súditos erguerem a sua moradia – que tem estilos variados e hoje também é considerada Patrimônio da Humanidade da Unesco.

Forte Nahargarh – Jaipur, Índia

A Índia tem vários castelos (ainda que muitos deles tenham o nome de “forte”) e o Nahargarh é um belíssimo exemplo.

Nahargarh, Índia
Nahargarh, olhando a sua Jaipur do alto (foto: Richie Chan/Shutterstock)
Nahargarh, Índia
Foto: Kurkul/Shutterstock

Ele foi construído no século 18, por ordem do próprio fundador da cidade de Jaipur, hoje a capital do estado do Rajastão. A intenção era ter um lugar seguro para ele mesmo descansar em determinados períodos do ano, mas o forte até chegou a servir de proteção de moradores numa época conturbada.

Reza a lenda que a construção do Nahargarh foi assombrada por uma divindade que não gostou da bagunça da obra e que só se acalmou quando um santuário foi criado para ela dentro do forte.

Castelo de Chapultepec – Cidade do México, México

Este castelo no topo de uma antiga montanha sagrada para os astecas, em plena Cidade do México, é considerado o único da América do Norte que efetivamente foi habitado por um soberano real, o imperador Maximiliano I.

Chapultepec, México
Jardim no Chapultepec (foto: Kit Leong/Shutterstock)

Porém, Maximiliano I só entrou pelos portões do Chapultepec 100 anos depois do início da sua construção, ordenada por outro nobre em 1785. Antes dele, o lugar passou muito tempo em obras e ainda gerou teorias de conspiração aos olhos da coroa espanhola, que achou que aquele forte era um indício de que alguém estava tramando uma rebelião.

Hoje, o Chapultepec fica no meio de um parque e até serve de locação para filmes. Quer um exemplo? Romeu + Julieta, obra de 1996 com Claire Danes e Leonardo di Caprio, teve várias cenas gravadas nele.

Forte de Qaitbay – Alexandria, Egito

É verdade que ele não foi construído com a intenção de ser um castelo, mas apenas um forte.

Qaitbay, Egito
O lindo Qaitbay, de frente para o Mediterrâneo (foto: Repina Valeriya/Shutterstock)

Porém, como o Qaitbay acabou se tornando uma “casa de verão” do rei Farouk – quase 500 anos depois de sua construção –, como ele está totalmente restaurado e em perfeito estado e, finalmente, como ele é considerado um dos fortes mais importantes do Mediterrâneo, resolvi colocar nesta lista.

O Qaitbay foi construído no século 15, no mesmo lugar onde ficava o Farol de Alexandria (uma das 7 Maravilhas da Humanidade da lista original, não do concurso recente, é óbvio) e tinha o objetivo de proteger o Egito dos vários invasores que apareciam por lá na época.

Qaitbay, Egito
A vista do Qaitbay (foto: Copycat37/Shutterstock)

Gostou da lista? Para conhecer mais castelos fora da Europa e saber de mais histórias incríveis, repito a recomendação: vá no Google e digite Castles + nome do continente. Você vai ter o que fazer por várias horas.

dica to go travel

É fácil confundir castelo, palácio e forte, porque eles mesmos se misturam muitas vezes. Mas dá para dizer que é basicamente assim: castelo serve para proteção e moradia de governantes, palácio serve para moradia de governantes (sem toda a proteção do castelo) e forte serve para defesa de regiões. Pronto, agora você pode pesquisar melhor em cada um nos seus próximos destinos.

Passagens aéreas para Hiroshima, Amã, Cidade do México e Jaipur

Hotéis em Hiroshima, Amã, Cidade do México e Jaipur

Gabe Britto
Gabe Britto

Gabriel não se intimida com distâncias enormes, nomes de lugares que ninguém nunca ouviu falar, cardápios incompreensíveis. Mais do que viajar, ele adora pesquisar curiosidades exóticas e extraordinárias ao redor do mundo – e, claro, conferir de perto (e sem pressa) suas descobertas.