Home > Turista Curioso > Como decidir o destino das suas férias
7 de março de 2017

Como decidir o destino das suas férias

A vida é bela para quem sabe exatamente aonde vai nas próximas férias.

Traçando um paralelo entre o mundo das viagens e do trabalho, ter convicção absoluta do destino da aventura é como encontrar a sua verdadeira vocação profissional. É uma bênção dos deuses do turismo.

Foto: fleurpos (CC0 Public Domain)
Foto: fleurpos – CC0 Public Domain

Porém, para muita gente com paixão platônica pelo mundo inteiro e pouco dinheiro para viajar para qualquer lugar que der na telha, decidir o roteiro de viagem normalmente é um drama de novela mexicana.

“Oh, vida! Como ir para o Oriente Médio e não para a África, se eu quero muito ir para os dois?”

“Como fazer minha viagem dos sonhos pelo Alasca, se estou morrendo de vontade de ir também para a América Central? Ajude-me, Senhor!”

É praticamente como escolher apenas um entre dois (ou mais) amores.

A solução que eu sugiro pode parecer absurda para alguns viajantes passionais, mas é a minha dica: seja frio como uma pedra de gelo na Antártida e foque em argumentos racionais para a sua escolha.

Coloquei aqui embaixo um passo a passo de como fazer isso. Tomara que ajude a diminuir o seu sofrimento e a melhorar o seu plano de viagem.

1º passo: Faça uma lista de lugares desejados

Esta lista precisa ser pequena e em formato de ranking. Olhe para o mapa-múndi e pense: aonde você iria se pudesse escolher apenas um lugar? Repita isso no máximo 5 vezes. No final, você vai ter os seus destinos preferidos no momento.

Foto: congerdesign - CC0 Public Domain
Foto: congerdesign – CC0 Public Domain

2º passo: Calcule quanto você pode economizar até a época da viagem

É simples: se você consegue economizar R$ 1.000 por mês e pode (ou precisa) esperar por 18 meses até viajar, seu orçamento para vai ser de R$ 18.000, acrescido de algum rendimento.

Se você preferir, ainda pode jogar com o velho e bom parcelamento de custos. Neste caso, imagine por quanto tempo você tem paciência de pagar a sua viagem depois de ter voltado.

Foto: stevepb - CC0 Public Domain
Foto: stevepb – CC0 Public Domain

Com estes números em mãos, pesquise o custo médio de viagens para os 5 lugares da sua lista (ou peça ajuda a um agente). Corte aqueles que estiverem acima do seu orçamento.

3º passo: Veja se as suas férias caem numa boa época no destino

Suas férias são em janeiro e seu destino número 1 é algum país lá no norte do mundo? Então você já sabe que vai ser inverno. Avalie se você topa encarar o frio, os dias mais curtos e tudo mais.

Foto: xusenru - CC0 Public Domain
Foto: xusenru – CC0 Public Domain

Faça o mesmo em todos os casos e pesquise também a época de chuva, de calor extremo, os feriados e as férias escolares locais etc. Depois, corte da sua lista os países que não estiverem em épocas boas durante as suas datas de descanso.

4º passo: Quantos dias você tem de férias?

Foto: webandi - CC0 Public Domain
Foto: webandi – CC0 Public Domain

Dois pontos a considerar aqui.

– Voos demoram e comem tempo da sua viagem. Por isso, se as suas férias são curtas, dê preferência para destinos mais próximos e guarde os mais distantes para quando você puder sair por mais dias.

– Destinos grandes exigem longos deslocamentos internos que também comem tempo da sua viagem. Se o seu tempo é curto, foque em áreas menores.

Use mais ou menos esta referência:

– 15 dias de férias: lugares próximos. Em geral, prefira Brasil, América do Sul, América do Norte, Europa e África.

– 30 dias de férias: aproveite e vá para lugares mais distantes, como Oriente Médio, Ásia e Oceania.

Este site indica mais ou menos o tempo de viagem de avião desde um ponto da Terra até outros, para você ter uma ideia. Dá para clicar e estabelecer a sua cidade.

5º passo: Quais dos seus destinos estão em risco?

Falei sobre isso neste post. Em resumo: pesquise sobre os riscos que seus destinos preferidos correm e dê prioridade aos mais ameaçados.

Foto: iStock/mikeuk
Foto: iStock/mikeuk

6º – Quantos anos você tem?

Este é um ponto polêmico e baseado numa experiência extremamente pessoal, mas se você achar bobagem, é só não seguir a recomendação: tente ir para os lugares mais distantes enquanto você ainda tem físico, força e paciência para enfrentar longos voos e jornadas cansativas.

Digo isso porque a velhice, por mais ativa que seja, impõe limites e alguns deles podem impedir você de fazer muitas coisas, inclusive viajar por um longo tempo numa classe econômica. Então deixe os lugares próximos para essa época da vida.

Foto: Unsplash - CC0 Public Domain
Foto: Unsplash – CC0 Public Domain

Depois de todos estes passos, provavelmente a sua lista já vai ter diminuído bastante. Se ainda sobrarem alguns concorrentes, tente fazer tudo de novo apenas com eles, focando também em questões burocráticas de visto, por exemplo. E se ainda assim você ficar na dúvida, bom… daí resta apenas o coração mesmo.

dica to go travel

Fique sempre ligado nas ofertas de viagens, principalmente para os destinos que você mais deseja. A oportunidade pode ser uma boa forma de decidir a próxima aventura também.

Confira nossas ofertas de voos.

Gabe Britto
Gabe Britto

Gabriel não se intimida com distâncias enormes, nomes de lugares que ninguém nunca ouviu falar, cardápios incompreensíveis. Mais do que viajar, ele adora pesquisar curiosidades exóticas e extraordinárias ao redor do mundo – e, claro, conferir de perto (e sem pressa) suas descobertas.