Home > Turista Curioso > Hotéis que são a atração
8 de novembro de 2016

Hotéis que são a atração

Você já viajou para algum lugar simplesmente para ficar num determinado hotel?

Isso não é o mais comum nas viagens, é claro. Normalmente viajamos para conhecer algo, viver uma experiência e tal. O hotel é apenas o lugar onde descansamos.

Neste quarto do The Manta Resort, é você, sua companhia e a imensidão do Oceano Índico (Copyright Genberg Art UW Ltd - Photography credits: Jesper Anhede)
Neste quarto do The Manta Resort, é você, sua companhia e a imensidão do Oceano Índico (Copyright Genberg Art UW Ltd – Photography credits: Jesper Anhede)

Mas a criatividade e a necessidade de inventar coisas diferentes para atrair a atenção é infinita e o resultado um mundão de opções de hospedagem que valem uma viagem. Desde hotéis simples, mas em lugares maravilhosos ou com um prédio numa forma muito louca, até hotéis requintadíssimos com um toque especial que faz com que ele seja imperdível.

Veja alguns exemplos dessas maravilhas.

The Manta Resort – Zanzibar, Tanzânia

Na verdade, a atração aqui não é o The Manta Resort (apesar dele ser maravilhoso). O foco é o seu exclusivíssimo e inacreditável Underwater Room.

Sim, você leu direito: é Underwater Room, ele fica embaixo d’água e está no singular, é apenas um único quarto.

O Underwater Room, do The Manta (Copyright Genberg Art UW Ltd - Photography credits: Jesper Anhede)
O Underwater Room, do The Manta (Copyright Genberg Art UW Ltd – Photography credits: Jesper Anhede)

Trata-se de uma estrutura flutuante amarrada a cabos (para que não saia navegando) numa “clareira” no meio de uma bancada de corais, a mais ou menos 250 metros da areia da praia da Ilha de Pemba, Oceano Índico.

Você enxerga o quarto ali no mar? (Copyright Genberg Art UW Ltd - Photography credits: Jesper Anhede)
Você enxerga o quarto ali no mar? (Copyright Genberg Art UW Ltd – Photography credits: Jesper Anhede)

O quarto tem 3 andares: o deck superior, para banhos de sol, contagem de gaivotas voando e observação de estrelas no breu da noite; o nível do mar, com uma sala de estar e banheiro; e o nível inferior, submerso no azul maravilhoso, onde fica o quarto.

À noite, luzes são acesas do lado de fora do nível inferior, iluminando os peixes que passeiam por ali, dando a chance do hóspede observar a vida noturna dos corais.

Uma voltinha no pátio (Copyright Genberg Art UW Ltd - Photography credits: Jesper Anhede)
Uma voltinha no pátio (Copyright Genberg Art UW Ltd – Photography credits: Jesper Anhede)
À noite, estrelas (Copyright Genberg Art UW Ltd - Photography credits: Jesper Anhede)
À noite, estrelas (Copyright Genberg Art UW Ltd – Photography credits: Jesper Anhede)
Eu espero que dê para fechar as cortinas (Copyright Genberg Art UW Ltd - Photography credits: Jesper Anhede)
Eu espero que dê para fechar as cortinas (Copyright Genberg Art UW Ltd – Photography credits: Jesper Anhede)
Visitas (Copyright Genberg Art UW Ltd - Photography credits: Jesper Anhede)
Visitas (Copyright Genberg Art UW Ltd – Photography credits: Jesper Anhede)

Tudo é ecologicamente amigável e a diária inclui mais um monte de outras coisas, inclusive pensão completa e um vigia noturno que fica a uma distância conveniente do quarto, mas não é nem um pouco barata: são 1500 dólares por noite.

Se este valor não for algo absurdo para você, a experiência de dormir numa cabana rodeada por peixes deve ser fantástica.

Hotel-Prisão Karosta – Liepaja, Letônia

Me perdoe pela mudança tão brusca de clima, passando do paraíso tropical africano para uma cidade no Mar Báltico, mas a intenção é mostrar de tudo mesmo, então fica assim.

Karosta é um distrito da cidade de Liepaja, no leste da Letônia, e foi construído no fim do século 18 para ser uma base naval da Rússia.

Depois do fim da União Soviética, a área perdeu a funcionalidade original e virou apenas uma curiosidade no país, principalmente pelos prédios militares que tinha e ainda tem.

Entre todas as obras erguidas lá com objetivo bélico está a prisão que hoje é uma mistura de hotel, museu e um jogo teatral que faz você “se sentir” (adicione muitas aspas aqui) como se fosse um preso do regime comunista soviético.

A prisão-hotel (foto: karostascietums)
A prisão-hotel (foto: karostascietums)

Bobajadas à parte, em Karosta você pode ter a experiência de dormir no que costumava ser uma cela, numa cama de ferro e com direito a café da manhã “de prisioneiro” (adicione outro tanto de aspas aqui também).

Acho que isso é a suíte luxo ( (foto: karostascietums)
Acho que isso é a suíte luxo (foto: karostascietums)
Acredite: esse tiozinho não é um guarda soviético (foto: karostascietums)
Acredite: esse tiozinho não é um guarda soviético (foto: karostascietums)

E se você quiser algo mais extremo, ainda pode comprar o pacote que inclui uma encenação durante a noite, onde você chega às 21h e sai às 9h, depois de enfrentar guardas gritando com você, ameaças, punições e até expulsão do hotel caso você se recuse a cumprir as ordens.

Para esta última experiência, é preciso assinar um termo aceitando as condições e pagar 17 euros. Já para a noite normal, sem o teatrinho, o preço é de 15 euros.

Vai encarar?

Giraffe Manor – Nairóbi, Quênia

Depois do rápido e barato passeio pela Europa, voltemos à África.

Com um climão de lugar perdido no meio do nada, é difícil acreditar que o Giraffe Manor fica na capital do Quênia, a menos de uma hora do principal aeroporto do país.

Oi, amigues (foto: Giraffe Manor)
Oi, amigues (foto: Giraffe Manor)

Este casarão dos anos 1930 está dentro de uma floresta e se aproveita disso para oferecer uma paisagem linda para os seus hóspedes privilegiados.

Mas o mais legal mesmo é que o hotel fica pertinho de um santuário de girafas e todas elas costumam dar as caras (e os pescoços) a cada manhã e fim de tarde, interagindo com o convivas através de janelões enormes – filando o seu café da manhã – ou no pátio.

Dá um pouquinho, dona (foto: Giraffe Manor)
Dá um pouquinho, dona (foto: Giraffe Manor)
Crianças são um dos públicos do Giraffe Manor (foto: Giraffe Manor)
Crianças são um dos públicos do Giraffe Manor (foto: Giraffe Manor)
Cafe na mesa (foto: Giraffe Manor)
Cafe na mesa (foto: Giraffe Manor)

Como você pode imaginar pelas fotos, o Giraffe Manor não é um lugar baratinho (os preços começam ao redor de 550 dólares por pessoa), mas incluem um monte de serviços e pensão completa também.

Ah, lambidas de girafas são gratuitas.

Montaña Magica Lodge – Huilo Huilo, Chile

A América do Sul não poderia ficar de fora desta lista, e o representante mais interessante me pareceu ser esta pequena maravilha, la Montaña Mágica, na lindíssima Reserva Biológica Huilo Huilo, na Patagônia Chilena.

Parece uma terra distante, mas é Chile (foto: Huilo Huilo Montaña Mágica Lodge)
Parece uma terra distante, mas é Chile (foto: Huilo Huilo Montaña Mágica Lodge)

Ela fica a 860km ao sul de Santiago e tem 5 andares feitos de madeira de reflorestamento, com paredes externas de pedras vulcânicas e vegetação, formando um pequeno “vulcão” de onde brota uma cascata.

Um vulcão que derrama água (foto: Huilo Huilo Montaña Mágica Lodge)
Um vulcão que derrama água (foto: Huilo Huilo Montaña Mágica Lodge)
Vista para o verde chileno (foto: Huilo Huilo Montaña Mágica Lodge)
Vista para o verde chileno (foto: Huilo Huilo Montaña Mágica Lodge)
Madeira por todos os lados (foto: Huilo Huilo Montaña Mágica Lodge)
Madeira por todos os lados (foto: Huilo Huilo Montaña Mágica Lodge)

O climão de cenário de Senhor dos Anéis é completado pela floresta nos arredores, cheia de trilhas por onde você pode passear a pé ou de bicicleta, babando pela natureza chilena.

O restaurante do hotel é outra delícia, com pratos locais que nem vou descrever aqui em respeito à distância que você deve estar de lá.

As diárias na Montaña Mágica obviamente variam, mas neste momento estão começando ao redor de 185 dólares. Bem mais em conta e bem mais perto do que as maravilhas africanas acima.

Solent Forts – Portsmouth, Inglaterra

Na verdade, aqui são 3 hotéis cercados de água e história por todos os lados: Spitbank Fort, No Man’s Fort e Horse Sand Fort.

(Foto: Solent Forts)
Foto: Solent Forts
(Foto: Solent Forts)
Foto: Solent Forts

Eles estão no Estreito de Solent, entre Portsmouth e a Ilha de Wight, no sul da Inglaterra, e foram construídos há 150 anos como fortes de proteção do porto de Portsmouth, onde normalmente está 1/3 da frota militar marinha britânica.

O perigo inicial era uma potencial invasão por parte das tropas de Napoleão III, mas depois eles acabaram sendo usados também como defesa na Primeira e na Segunda Guerra, quando era obrigatório que os homens trabalhando neles não soubessem nadar, para evitar que tentassem fugir em caso de ataque.

(Foto: Sue Webb - Solent Forts)
Foto: Sue Webb – Solent Forts

O abandono das instalações começou logo depois da queda de Hitler e, nos anos 1960, os três fortes foram colocados à venda. Em 2009, eles começaram a ser transformados em hotéis de uma mesma empresa.

Hoje os Solent Forts são hotéis exclusivíssimos, perfeitos para quem gosta de histórias de guerras, mas também para quem gosta de luxo e essas coisas. Para você ter uma ideia, dá para chegar neles de helicóptero, ainda que todos estejam pertinho da costa.

Foto: Solent Forts
Foto: Solent Forts
Foto: Solent Forts
Foto: Solent Forts
Foto: Solent Forts
Foto: Solent Forts
Foto: Solent Forts
Foto: Solent Forts

Se dormir num lugar desses estiver fora das suas possibilidades, saiba que dá para apenas almoçar neles. O preço é de 99 libras por pessoa, mas pelo menos inclui o barco para ir e voltar.

dica to go travel

Faça você mesmo uma busca na internet atrás de hotéis estranhos e inusitados. Você vai encontrar coisas incríveis e certamente vai se inspirar para viagens que nem imaginava fazer.

Gabe Britto
Gabe Britto

Gabriel não se intimida com distâncias enormes, nomes de lugares que ninguém nunca ouviu falar, cardápios incompreensíveis. Mais do que viajar, ele adora pesquisar curiosidades exóticas e extraordinárias ao redor do mundo – e, claro, conferir de perto (e sem pressa) suas descobertas.