Home > Turista Curioso > Série Copa das Confederações 2017: o que ver em Moscou
28 de fevereiro de 2017

Série Copa das Confederações 2017: o que ver em Moscou

Enfim, chegamos ao quarto e último post da série sobre as cidades-sede da Copa das Confederações, que acontece na Rússia, entre 17 de junho e 2 de julho deste ano. Depois de passar por Sochi, Kazan e São Petersburgo, é hora de ver algumas atrações turísticas na enorme (em todos os sentidos) Moscou.

Moscou existe desde pelo menos os anos 1100 e, ironicamente, chegou a ser considerada “o bem menos valioso” da herança deixada pelo seu ex-proprietário para um dos seus filhos. Mas depois começou a atrair moradores e a crescer, ganhando cada vez mais importância no cenário local até se tornar uma das cidades mais poderosas da Rússia e, mais tarde, nos anos 1400, a capital do império.

Torre Spasskaya, construída no século 15 (foto: © Milan Nykodym, Czech Republic)
Torre Spasskaya, construída no século 15 (foto: © Milan Nykodym, Czech Republic – CC BY-SA 2.0)

Este título só foi perdido para São Petersburgo durante um período de quase 200 anos, a partir do início dos 1700, mas depois Moscou recuperou a importância e não perdeu um milímetro desde então.

Em todos estes anos, a cidade viu um oceano de acontecimentos históricos se passarem nela, grande parte deles com impacto no mundo inteiro, e acabou virando não apenas o lugar mais importante da Rússia, mas um dos mais influentes da Terra. Com tantas histórias no currículo, é de se esperar que capital russa tenha um número igualmente grande de atrações. E tem mesmo. A primeira e mais famosa é o Kremlin.

O Kremlin no anoitecer (foto: Andrey Korzun - CC BY-SA 4.0)
O Kremlin no anoitecer (foto: Andrey Korzun – CC BY-SA 4.0)

“Kremlin” significa uma cidadela russa fortificada, por isso a gente encontra tantos quando começa a pesquisar sobre o país. Mas nenhum deles chega aos pés da importância do Kremlin de Moscou.

Suas muralhas têm quase 600 anos de idade e cercam alguns dos prédios mais importantes da gigante Rússia, incluindo palácios, catedrais e a residência oficial do presidente do país.

O Grand Kremlin Palace e o campanário de Ivã, o Grande (foto: NVO - CC BY-SA 3.0)
O Grand Kremlin Palace e o campanário de Ivã, o Grande (foto: NVO – CC BY-SA 3.0)
O Kremlin visto do alto (foto: www.kremlin.ru - CC BY 4.0))
O Kremlin visto do alto (foto: www.kremlin.ru – CC BY 4.0)

Logo ao seu lado estão duas outras atrações famosas no mundo inteiro: a Praça Vermelha e a Catedral de São Basílio.

A Praça Vermelha (com o Kremlin ao lado) e a Catedral de São Basílio ao fundo (foto: Alvesgaspar - CC BY-SA 3.0)
A Praça Vermelha (com o Kremlin ao lado) e a Catedral de São Basílio ao fundo (foto: Alvesgaspar – CC BY-SA 3.0)

A primeira é onipresente nos registros mais impressionantes (em foto e vídeo) dos momentos de autoafirmação do poderio soviético durante a Guerra Fria, já que era o local de desfiles militares e celebrações nacionais com exposição de todo o armamento do país.

A Praça Vermelha (foto: Christophe Meneboeuf - CC BY-SA 3.0)
A Praça Vermelha (foto: Christophe Meneboeuf – CC BY-SA 3.0)
A praça nos anos 1970 (foto: Szilas - domínio público)
A praça nos anos 1970 (foto: Szilas – domínio público)

A segunda é onipresente nos cartões postais da cidade, com suas cúpulas coloridas que parecem doces gigantescos.

Ela foi construída nos anos 1500, por ordem de Ivã, o Terrível, para comemorar a conquista de Kazan e Astrakhan e hoje funciona como um museu.

Foto: Petar Milošević - CC BY-SA 4.0
Foto: Petar Milošević – CC BY-SA 4.0

Para finalizar este passeio rapidíssimo por uma das cidades mais incríveis do mundo, vamos a uma atração que todos os turistas acabam conhecendo – a não ser que sejam extremamente claustrofóbicos e evitem qualquer lugar embaixo da terra.

O metrô de Moscou.

Estação Mayakovskaya, de 1938 (foto: Andrey Kryuchenko - CC BY-SA 3.0)
Estação Mayakovskaya, de 1938 (foto: Andrey Kryuchenko – CC BY-SA 3.0)

Ele foi aberto pela primeira vez em 1935 e cresceu sob o regime comunista, que queria mostrar ao mundo (e aos seus cidadãos) tudo que o governo poderia oferecer. Para conseguir isso, os líderes não economizaram na decoração das primeiras estações, que viraram verdadeiras obras de arte.

Estação Kiyevskaya, de 1954 (foto: Antares 610 - CC BY 3.0)
Estação Kiyevskaya, de 1954 (foto: Antares 610 – CC BY 3.0)

Infelizmente, a estação mais próxima do estádio da Copa das Confederações na cidade não está entre estas construídas nos tempos de exuberância subterrânea, mas vale tentar dar uma voltinha numa delas antes e depois de cada jogo, não?

Bom passeio e boa Copa para você.

dica to go travel

O alfabeto cirílico – utilizado na Rússia – parece algo impossível para nós, mas não é bem assim. Com um pouco de esforço, dá para decorar as letras dele perfeitamente e compreender ao menos as palavras que estão escritas em placas e avisos pela cidade (principalmente no metrô). Sua viagem vai ficar bem mais tranquila com este pequeno aprendizado.

Passagens aéreas para Moscou

Hotéis em Moscou

Gabe Britto
Gabe Britto

Gabriel não se intimida com distâncias enormes, nomes de lugares que ninguém nunca ouviu falar, cardápios incompreensíveis. Mais do que viajar, ele adora pesquisar curiosidades exóticas e extraordinárias ao redor do mundo – e, claro, conferir de perto (e sem pressa) suas descobertas.