Home > Viajante Hiperconectad@ > 11 sinais de que o futuro chegou às cias aéreas
17 de junho de 2016

11 sinais de que o futuro chegou às cias aéreas

Foto: iStock_Filograph
Foto: iStock_Filograph

Muita gente se lembra do bilhete de papel ou de ir a uma agência de turismo física para fazer uma remarcação de data? Talvez alguém aqui ainda seja do tempo em que se fumava a bordo e que os fumantes pegavam assentos não-fumantes para dar suas tragadas de pé, lá no fundão, onde comissários conviviam com uma cortina de fumaça eterna. Para o bem (ou para o mal) o futuro chegou. E você percebe isso quando…

1. A realidade virtual chega a bordo. Tudo bem que até agora é só na primeira classe e apenas em uma companhia aérea – a australiana Qantas. Mas conteúdo imersivo 360º e óculos VR parecem cair como uma luva para o mundo da aviação. Quer saber mais sobre como funcionam os vídeos de Realidade Virtual? Veja aqui.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

2. Dá para usar o wi-fi a bordo. Isso já virou mais comum dentro das aeronaves do que a frase “Chicken or pasta”. United, American Airlines, Delta, Air Canada já têm. A Gol está implementando o mesmo sistema. Cada companhia tem sua política de cobrança (sim, todas cobram) e área de atuação (em geral, o sistema não cobre todos os voos, em especial os internacionais). A Delta e a American Airlines, por exemplo, vendem passes de wi-fi que vão de 2 horas a um ano.

Foto: iStock_Csondy
Foto: iStock_Csondy

3. O entretenimento de bordo pode ser acionado em seu próprio aparelho. Redes internas de wi-fi para navegar em conteúdos fechados em seu tablet ou smartphone já são muito comuns. A Gol já usa isso há uns 5 anos.

4. Seu smartphone é seu tíquete. Cada vez mais, o check in é feito antes mesmo de se chegar ao aeroporto e o bilhete de embarque é um QR Code na telinha de seu celular.

5. Aviões podem ter escadas. A nova família de Airbus tem. O A380, a maior aeronave comercial do mundo, tem dois andares e leva entre 800 e 900 passageiros, dependendo da configuração. Já seu irmão menor, o A340, leva todo mundo em um piso, mas os banheiros ficam embaixo. 

Foto: iStock_wonry
Foto: iStock_wonry

O A380 é tão espaçoso que pode ter até bar, como este da Classe Executiva da Emirates.

Foto: iStock_teamtime
Foto: iStock_teamtime

6. Raramente se consegue uma fileira inteira para se espalhar como antigamente. Com a automatização cada vez maior dos sistemas e mudança de aeronave conforme a ocupação a mamata acabou.

7. Bebidas alcoólicas e sanduíches são cobrados em voos nacionais. Isso já começou há bastante tempo, especialmente nas companhias americanas. O que faz muita gente embarcar com seu próprio lanchinho…

8. Cortaram a nécessaire da classe econômica. Lembra da bolsinha com pasta de dente, escova, meia e pente? Vai ficar na memória.

9. As primeiras fileiras da econômica são cobradas. Acabou também esta mamata desde que inventaram o “assento conforto”.

10. Uma nova classe está surgindo. Algumas companhias aéreas têm agora uma categoria intermediária entre a espartana econômica e a cara executiva. A Lufthansa, por exemplo, criou a Premium Economic, com espaço maior, serviço e preços também intermediários.

11. Saquinhos de emergência raramente são uma necessidade. Esta talvez seja o melhor presente que o futuro nos traz. No passado, as aeronaves eram muito mais suscetíveis a turbulências. Eu (ainda bem) nunca vi ninguém usando os famigerados saquinhos. Você já viu?

dica to go travel

Tem alguma restrição alimentar? Você sabia que, com alguma antecedência, pode pedir alimentação especial em voos internacionais de várias companhias? Veja as regras no site da empresa.

Cindy Wilk
Cindy Wilk

Cindy rodou mais de 40 países, ama praias e desertos, acha a Ásia o continente mais aconchegante do mundo e não pretende parar nunca de viajar para escrever e escrever para viajar. Autora de Endereços Curiosos de Londres (Panda Books) e Volta ao Mundo em 101 Dicas (Ediouro), colaborou para várias publicações de viagem e foi diretora de redação da revista TAM nas Nuvens.