Home > Viajante Hiperconectad@ > Brasil: o mapa do Birdwatching urbano
28 de agosto de 2017

Brasil: o mapa do Birdwatching urbano

O turismo de observação de pássaros cresce no Brasil. Quer começar? Veja dicas de como e onde fazer birdwatching em sua própria cidade

birdwatching-to-go-blogs-viajante-hiper
Imagem: Wikimedia_Creative Commons

Ao pé da letra, birdwatching quer dizer “observação de pássaros” e esta expressão foi cunhada em 1901, pelo ornintólogo inglês Edmund Selous. E a mania de viajar exclusivamente para fazer birdwatching, coisa já bem comum para turistas estrangeiros tem crescido no Brasil.

Afinal, o Brasil tem cerca de 1.900 espécies de aves e pelo menos uns 50 destinos de ecoturismo perfeitos para observá-las, sendo o segundo país do mundo em números de pássaros, só perdendo para a Colômbia.

Lugares como a Chapada Diamantina, na Bahia, ou o Pantanal já são clássicos. Enquanto outros lugares bem menos conhecidos como a reserva de Sooretama, no Espírito Santo, ou o parque nacional de Ubajara, no Ceará, têm até funcionários especializados em orientar o visitante que quer fazer birdwatching.

birdwatching-to-go-blogs-viajante-hiper
O turismo de observação de pássaros não para de crescer. Imagem: Pixabay_Mhy

E, com tanto pássaro por nossas terras, dá para fazer Birdwatching mesmo nas grandes metrópoles. A seguir, alguns exemplos.

Em São Paulo:

Você sabia que 400 aves vivem ou passam pela maior cidade brasileira? A Serra da Cantareira, reserva do tamanho equivalente a 8 mil campos de futebol, é local garantido para um bom birdwatching. Mas, ainda mais perto do centro da cidade, há outros, como o Parque Villa-Lobos e o Jardim Botânico e o Instituto Butantã, onde funciona até mesmo um observatório de aves.

No Rio de Janeiro:

A Floresta da Tijuca é a quarta maior floresta urbana do país e a maior replantada pelo homem. E é ali estão as espécies de aves endêmicas da Mata Atlântica. Mas não só: ainda mais central, o Jardim Botânico é também um oásis urbano repleto de aves.

Em Curitiba:

Além de surpreender pela beleza, o Parque Barigui é o lugar para encontrar diversas espécies de aves aquáticas.

Em Brasília:

A capital é de aves típicas do cerrado, obviamente. A maior concentração está no Jardim Botânico da cidade.

Além de saber onde procurar, observar pássaros exige alguns macetes, como:

birdwatching-to-go-blogs-viajante-hiper
Imagem: Wikimedia_Creative Commons

Vestir-se adequadamente.
Use roupas de cores discretas, evitando o amarelo, vermelho e o branco, cores que chamam a atenção das aves e podem afugentá-las.

Levar um bom binóculo.
Equipamentos com boa luminosidade, a prova d’água e leves são ideais. Para os iniciantes, lentes com aumentos entre 7 e 10 vezes dão conta do recado.

Munir-se de informações.
Afinal, a intenção é identificar as aves vistas, não? Pois catálogos com imagens e informações sobre as aves locais são essenciais.

Levar equipamento para registrar as imagens.
E como a distância é grande, quem quer fazer a coisa direitinho precisa levar câmeras boas, tripé e lentes poderosas – de 300mm, por exemplo.

E os sons.
Isso pode ser feito com um simples smartphone. Aliás, vale levar também uma caixinha de som portátil Bluetooth e uma playlist com som de pássaros. Serve para atrair aves ou simplesmente para comparação durante o passeio.

Confira mais dicas sobre São Paulo e Rio de Janeiro em nossos Guias de Viagem.

dica to go travel

Quer trocar informações e saber mais sobre observação de aves? O Wikiaves é uma respeitadas rede de observadores. Vale dar uma fuçada.

Passagens aéreas para São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Brasília

Hotéis em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Brasília

Cindy Wilk
Cindy Wilk

Cindy rodou mais de 40 países, ama praias e desertos, acha a Ásia o continente mais aconchegante do mundo e não pretende parar nunca de viajar para escrever e escrever para viajar. Autora de Endereços Curiosos de Londres (Panda Books) e Volta ao Mundo em 101 Dicas (Ediouro), colaborou para várias publicações de viagem e foi diretora de redação da revista TAM nas Nuvens.