Home > Viajante Hiperconectad@ > Ano Novo: fogos de artifício pelo mundo
30 de dezembro de 2016

Ano Novo: fogos de artifício pelo mundo

Colorir os céus com fogos para celebrar o réveillon (e também outras datas importantes) é costume em vários lugares mundo afora. Veja os mais impressionantes

to-go-blogs-viajante-hiper-fogos-de-artificio
iStock_oatawa

Quem inventou os fogos de artifício foram os chineses, em algum momento entre os anos 600 e 900, e os céus ardendo em cores se tornaram o momento ápice de todas as celebrações – aliás, quem lembra das Olimpíadas de Pequim, em 2008, com o Ninho de Pássaro envolto em luzes, não duvida que eles entendem da coisa. Mas como o réveillon nosso não diz muito por ali, onde o ano começa no final de janeiro, veja a seguir alguns espetáculos que acontecem agora e que podem ser tão (ou até mais) impressionantes quanto o de Copacabana, no Rio.

Manila, Filipinas
Está lá no Guinness Book: a maior queima de fogos do mundo, com nada menos que 810.904 fogos de artifício aconteceu na virada de 2015 para 2016, na Phillippine Arena, na capital. Durou impressionantes 1 hora, 1 minuto e 32 segundos. Debaixo de chuva. Este ano promete.

to-go-blogs-viajante-hiper-fogos-de-artificio
iStock_husayno

Dubai, Emirados Árabes
Extravagância, todos sabem, é com eles mesmo. Pois a queima de fogos da mais alta torre do mundo, a Burj Khalifa, não poderia ser menos do que um espetáculo que se repete em todos os réveillons. Os fogos são lançados simultaneamente de toda a fachada do prédio, que vira uma espécie de vela de bolo gigante.

Mas é claro que em Dubai, não poderia haver apenas uma extravagância destas. O Palm Jumerah and World Island, aquele condomínio formado por ilhas artificiais em formato de palmeira, também faz o show. É rápido: 6 minutos. Mas um furacão. São 479 mil lançamentos neste curto período. Tipo, quem não pode concorrer com a altura, apela para a intensidade.

to-go-blogs-viajante-hiper-fogos-de-artificio
iStock_clearandtransparent

Sydney, Austrália
A baía da cidade, com sua linda Opera House ali no meio, é um palco perfeito para um espetáculo de fogos que é um dos mais potentes do mundo na virada do ano. Sem falar que é um dos primeiros lugares do planeta a celebrar o réveillon.

to-go-blogs-viajante-hiper-fogos-de-artificio
iStock_Kokkai Ng

Londres, Inglaterra
O show de ano novo acontece ao redor da London Eye, com fogos sendo lançados da própria roda gigante. Mas, desde 2014, vai além bem do visual: trata-se do primeiro espetáculo pirotécnico multi-sensorial do mundo. O que na prática significa que as explosões deixam aromas e mesmo sabores no ar. Por exemplo, o céu fica vermelho e chovem bolhas sabor morango e o cheiro da fruta toma conta de tudo. Ficou tão popular que agora cobra-se ingresso de 10 libras e a venda é antecipada. Este ano, já esgotado.

to-go-blogs-viajante-hiper-fogos-de-artificio
iStock_franckreporter

Paris, França
Pode não ser o maior e nem mais inovador do mundo. Mas é o único show de fogos com a Torre Eiffel para enfeitar. E aí qualquer competição fica difícil…

to-go-blogs-viajante-hiper-fogos-de-artificio
iStock_8213erika

Montreal, Canadá
Esse é para quem não consegue esperar o ano inteiro para ver espetáculos pirotécnicos ou então quer saber de antemão as novidades para o ano seguinte. Todo mês de julho, uma das maiores atrações do verão de Montreal é esta celebração — cujo motivo é justamente eles: os fogos. Montreal International Fireworks Competition é uma prova de pirotecnia, que acontece desde 1985 e reúne empresas do mundo inteiro que apresentam o que têm de melhor por 30 minutos.

to-go-blogs-viajante-hiper-fogos-de-artificio
iStock_EasyBuy4u

dica to go travel

Louco por fogos? Se há um lugar onde é réveilon todo dia são os parques da Disney. No Magic Kingdom, em Orlando, toda noite acontece o espetáculo Wishes Nighttime Spetacular, com duração de 12 minutos e narrado por personagens da Disney.

Passagens aéreas para Dubai, Sydney, Londres, Paris e Montreal

Hotéis em Dubai, Sydney, Londres, Paris e Montreal

Cindy Wilk
Cindy Wilk

Cindy rodou mais de 40 países, ama praias e desertos, acha a Ásia o continente mais aconchegante do mundo e não pretende parar nunca de viajar para escrever e escrever para viajar. Autora de Endereços Curiosos de Londres (Panda Books) e Volta ao Mundo em 101 Dicas (Ediouro), colaborou para várias publicações de viagem e foi diretora de redação da revista TAM nas Nuvens.