Home > Viajante Hiperconectad@ > 24 horas em Kuala Lumpur
8 de fevereiro de 2017

24 horas em Kuala Lumpur

Há muito mais do que as icônicas torres gêmeas Petronas Towers na moderna metrópole da Malásia. Mas, sim, dá para conhecer Kuala Lumpur em apenas um dia

to-go-blogs-viajante-hiper-kuala-lumpur
Shutterstock/f11photo

As fotos clássicas de Kuala Lumpur, com arranha-céus entre os quais despontam no skyline as futuristas Petronas Towers, talvez dêem a impressão de que a cidade seja grande demais e complicada demais para uma exploração rápida. Mas, sendo um hub importantíssimo no Sudeste Asiático, com voos baratíssimos da Air Asia para diversas outras partes, muita gente acaba sendo obrigado a fazer um stop over por ali. Agora a surpresa: vale muito à pena ficar um dia nesta cidade super multicultural, onde indianos, chineses e muçulmanos convivem numa boa. Preparei aqui um roteiro esperto para 24 horas em Kuala Lumpur. Vamos lá:

9hs: Explorar as fantásticas Batu Caves
Depois do café da manhã, corra para Batu Caves. Tratam-se de gigantescas cavernas de 400 milhões de anos distantes apenas 13 quilômetros do centro, mas literalmente ao lado da estação final de uma das linhas de trens urbanos. Ao chegar, você é recepcionado por dezenas de macacos (cuidado: eles adoram pilhar celulares de turistas desavisados). Há vários templos indianos ao redor e no interior das cavernas, consideradas um dos lugares mais sagrados fora da Índia. Para chegar no interior da caverna principal, é preciso subir 272 degraus de uma escadaria guardada por uma estátua gigante de um deus indiano. O acesso para esta área é gratuito, mas há outras cavernas. A Dark Cave, por exemplo, pode ser visitada em tours guiados mais focados em história natural. Dica: volte para o centro antes do meio dia, já que à partir deste horário a frequência de trens desta linha é a cada 40 minutos ao invés de 20.

to-go-blogs-viajante-hiper-kuala-lumpur
Shutterstock/Crystal Image
to-go-blogs-viajante-hiper-kuala-lumpur
Shutterstock/Grey Chow

11h30: Almoçar em um Food Hall
Pegue o trem de volta para a estação KL Sentral e pegue o monorail para Bukit Bitang. O transporte em Kuala Lumpur funciona muito bem, mas as linhas de trens e monorail não são unificadas, então é preciso comprar outro bilhete. A região de Bukit Bintang é conhecida como o Triângulo de Ouro da cidade. É a parte moderna, cheia de hotéis bacanas e de grandes Shopping Centers interligados, todos com fantásticas praças de alimentação no subsolo. O Pavilion é o mais chique mall da cidade e tem no subsolo a Food Republic, com mais de 30 restaurantes diferentes e um design industrial bacana. É, no entanto, no Lot10, um shopping menorzinho, que está a considerada melhor food hall da cidade, a Hutong Food Court, com design inspirado nas ruelas da Pequim antiga. É um interessante labirinto com cerca de 20 pequenos restaurantes gourmets que representam uma boa seleção de tudo o que há de melhor na Ásia.

to-go-blogs-viajante-hiper-kuala-lumpur
Shutterstock/Faiz Zaki

15hs – Rumo às Petronas Towers
Da mesma forma que os malaios amam Shopping Centers, eles são fascinados pelas passarelas que conectam uns a outros. Aliás, uma boa forma de escapar do calor exagerado ou da chuva ininterrupta ou, muito frequentemente, a combinação dos dois. Percorra as passarelas que conectam o Pavilion e o Lot10 ao KLCC, o shopping que ocupa os andares inferiores das Petrona Towers, com seus 88 andares, entre as mais altas torres do mundo. Hora de subir. O ingresso (melhor reservar com antecedência) é um pouco salgado: 85 ringgits (cerca de US$ 20). Mas vale para ver cidade do observatório lá no alto, caminhar pela passarela de vidro entre os dois prédios e saber mais sobre a arquitetura do edifício. Os jardins em frente as torres também são bem bonitos e há um espetáculo de águas e luzes diariamente às 20 horas (na minha opinião, menos bacana do que eu esperava). Detalhe: as torres ficam bem mais bonitas ao anoitecer. E justamente por isso, melhor correr para…

to-go-blogs-viajante-hiper-kuala-lumpur
Shutterstock/fiz_zero

18h30 – Ver o pôr do sol do Heli Lounge Bar
A uma caminhada rápida à partir das Petronas, chega-se ao Heli Lounge Bar, o bar que funciona no último andar do hotel Menara KH. O bar de fato não tem nada de especial, mas ao comprar um drinque você pode subir ao heliponto. Dali se tem a melhor vista 360 graus da cidade, já que fica bem no miolo, entre as Petronas Towers e TV Tower (que, aliás, é outro bom lugar para ver a cidade do alto). Quando o tempo permite, há festas e serviço de bar no próprio heliponto.

to-go-blogs-viajante-hiper-kuala-lumpur
Flickr/CC: Ole Kristian Hermansen

21hs – Jantar na rua
Para um jantar à altura da mistura cultural malaia, vá para a Jalan Alor, ruela bem no coração de Bukit Bintang, repleta de restaurantes típicos e barracas de comida de rua. Bom para experimentar de tudo um pouco.

to-go-blogs-viajante-hiper-kuala-lumpur
Shutterstock/Elena Ermakova

22h30 – Compras finais em Chinatown
Faltou comprar um Rolex falsificado ou uma Louis Vuitton paralela? A Petaling Street, ruela fechada para pedestres onde funciona o mercado norturno de Chinatown, é o lugar. Barganhar aqui é lei. E, para quem começou o dia na Índia, nada como terminar na China.

to-go-blogs-viajante-hiper-kuala-lumpur
Shutterstock/f11photo

dica to go travel

Em Kuala Lumpur é muito fácil e rápido ir do aeroporto para o centro. O KLIA Express leva exatos 28 minutos para fazer o trajeto. Se você estiver em trânsito, vale comprar o bilhete de ida e volta, que custa 100 ringgits (cerca de US$ 22,5).

Passagens aéreas para Kuala Lumpur

Hotéis em Kuala Lumpur

Cindy Wilk
Cindy Wilk

Cindy rodou mais de 40 países, ama praias e desertos, acha a Ásia o continente mais aconchegante do mundo e não pretende parar nunca de viajar para escrever e escrever para viajar. Autora de Endereços Curiosos de Londres (Panda Books) e Volta ao Mundo em 101 Dicas (Ediouro), colaborou para várias publicações de viagem e foi diretora de redação da revista TAM nas Nuvens.