Home > Viajante Hiperconectad@ > VR: Como ir a qualquer lugar antes mesmo de chegar
4 de julho de 2016

VR: Como ir a qualquer lugar antes mesmo de chegar

Há alguns meses postei aqui pela primeira vez sobre vídeos de viagem em Realidade Virtual. Na ocasião, o Turismo da Austrália havia lançado lançou uma série muito legal de experiências imersivas 360º no país (vale muito a pena ver) e eu aproveitava para contar como assistir da melhor maneira este tipo de vídeo.

A experiência muda radicalmente dependendo do equipamento em que você está. Num computador desk top é meio se graça; num tablet ou smarthphone mais modernos (com acelerômetro) a coisa começa a ficar bacana; com óculos VR, mesmo que sejam aqueles muito simples de papelão, tipo o Google Cardboard, aí sim, você vai entender a que isto veio.

De lá para cá, muita coisa bacana surgiu neste departamento. Tanto que hoje você pode fazer um city tour em Amsterdã antes mesmo de comprar a passagem. Quer ver?

Dar um passeio por Nova York também é possível, sendo guiado através do olhar de Neil Britto, um fotógrafo e instagramer (@itsneilb) com mais de 66 mil seguidores.

A Realidade Virtual já é também uma realidade para o ramo da hotelaria. Em vários hotéis já é possível “caminhar” pelo lobby, dar uma olhadinha no quarto antes de fazer a reserva. A rede Marriot, no entanto, resolveu fazer algo diferente. Uma vez já no hotel, o hóspede pode pedir o “VRoom Service”. Trata-se de uma maletinha com os óculos VR para assistir a vídeos 360º super bem produzidos batizados de “VR Postcards”.

As companhias aéreas estão indo por este caminho. A Lufthansa lançou uma série de videozinhos imersivos 360º em várias metrópoles como Hong Kong, Tóquio, San Francisco ou Miami. Assista:

Alguma dúvida de que o futuro chegou?

dica to go travel

Mas o jeito mais barato de mergulhar no futuro é o genial e simples Google Cardboard, de papelão, que você mesmo monta em casa. A brincadeira neste caso pode custar, em média, míseros 30 reais no Mercado Livre.

Cindy Wilk
Cindy Wilk

Cindy rodou mais de 40 países, ama praias e desertos, acha a Ásia o continente mais aconchegante do mundo e não pretende parar nunca de viajar para escrever e escrever para viajar. Autora de Endereços Curiosos de Londres (Panda Books) e Volta ao Mundo em 101 Dicas (Ediouro), colaborou para várias publicações de viagem e foi diretora de redação da revista TAM nas Nuvens.